: Mais Magazine:: Comentários: 0

A Escola Universitária Vasco da Gama iniciou a sua atividade no início deste milénio e tem como Entidade Instituidora a Associação Cognitária Vasco da Gama. À altura da sua fundação foi a primeira instituição de Ensino Superior privado em Portugal a ministrar o curso de Medicina Veterinária. Hoje mantém-se na vanguarda do Ensino Superior privado, através de um projeto educativo inovador, orientado para a criação, transmissão, difusão e desenvolvimento da cultura, do saber e conhecimento.

A Associação Cognitária Vasco da Gama (ACVG) é uma associação sem fins lucrativos, criada em 1997, que tem por intuito o ensino artístico e educativo, a promoção da ciência e da cultura. Desde cedo iniciou o processo de criação de um estabelecimento de Ensino Superior que culminou com o reconhecimento de interesse público e instituição da Escola Universitária Vasco da Gama (EUVG), cujo funcionamento teve início no ano letivo 2000/2001. Na relação estatutária com a EUVG, compete à ACVG “criar e garantir as condições para o normal funcionamento do estabelecimento de ensino, garantindo a sua gestão administrativa, económica e financeira”. A Direção da ACVG assegura, pois, todas as condições que estejam ao seu alcance para permitir o desenvolvimento do projeto educativo da EUVG, sempre em articulação com os seus órgãos de gestão académica.

A ACVG/EUVG soma hoje mais de 20 anos de experiência e acolhe cerca de 600 estudantes em diversos níveis de formação, com graus oficialmente reconhecidos. É nesta realidade que garante um ensino de elevada qualidade nas suas áreas de estudo, complementado com parcerias locais e regionais, de forma crescentemente autónoma e consistente, baseando-se em valores de responsabilidade, gestão rigorosa, humanista e garantia da qualidade.

A Instituição teve inicialmente uma vertente de Formação Profissional, mas foi progressivamente centrando o seu âmbito de ação no Ensino Superior, especializando-se posteriormente nas Ciências Veterinárias. Nos últimos três anos reorientou a sua estratégia e duplicou a oferta formativa, sem perder o ensejo de continuar a criar. Foi para isso necessário garantir condições de progressão e voltar a alargar o projeto educativo a outras áreas de ensino e níveis de Formação, dentro do conceito One Health (Uma só Saúde: humana, animal e ambiental).

Isto representou um enorme investimento em recursos humanos e materiais: ampliação das instalações, reforço do corpo docente e não docente, disponibilização de novos espaços e equipamentos que garantam melhores condições para as atividades teóricas (presenciais e remotas), práticas e científicas. O objetivo é estimular um ecossistema educacional científico e cultural mais construtivo a longo prazo, envolvendo várias gerações, formações e culturas, na promoção de um conhecimento integrado de alta qualidade.

Escola Universitária Vasco da Gama (EUVG)

O percurso da EUVG tem estado, nos últimos anos, principalmente focado na formação de profissionais na área das Ciências Veterinárias. Nessa medida, é reconhecida pelas suas práticas pedagógicas pioneiras que promovem, de forma acompanhada, o treino intensivo em trabalho clínico, laboratorial e de campo, permitindo aos seus estudantes a aquisição de competências nas diversas vertentes profissionais.

A evolução dos últimos anos tem estado focada na mudança do paradigma do seu formato de ensino: trazer cada vez menos casuística ao campus e levar cada vez mais o campus à casuística. Em termos práticos, a Instituição criou e está a otimizar uma plataforma de mobilidade
que assegura, de forma permanente, que os estudantes tenham acesso ao laboratório prático real, no terreno. Esta plataforma só é possível graças à consolidação de uma rede integrada de transportes entre o campus e um conjunto de parceiros nas várias áreas/valências nucleares da formação, com dimensão que permite assegurar uma casuística regular elevada e diversificada. Este sistema de mobilidade expõe os estudantes
à casuística, acompanhados pelo corpo docente residente, que garante a qualidade do ensino ministrado em contexto real de trabalho, ao mesmo tempo que promove o estreitamento de contactos e sinergias no ecossistema EUVG, seja ele técnico-científico, agrário, rural, regional e local, estimulando a fixação de ativos qualificados. A grande maioria dos seus estudantes, quando termina o percurso académico, já tem uma proposta de trabalho apresentada por algum local onde passou, durante este processo.

Na vanguarda da oferta formativa

A EUVG é uma Instituição norteada pelo lema “mundo mundus novos dare”. O Mestrado Integrado em Medicina Veterinária (MIMV) primeiro no
Ensino Superior Privado em Portugal, foi pioneiro na integração, desde o 2º ano do seu plano de estudos, dos Estágios Intercalares. Em 2015, a Licenciatura em Ciências Bioveterinárias (LCB), veio confirmar o potencial inovador da Instituição. Única na rede de formação nacional, encontra apenas semelhantes a nível internacional, como na Irlanda, Reino Unido, Canadá e EUA.

Já mais recentemente, o Mestrado em Cirurgia de Animais de Companhia (acreditado em 2021) e o Mestrado em Medicina Interna de Animais de Companhia (acreditado em 2022) visam proporcionar formação avançada a profissionais portugueses e estrangeiros. Organizados em regime modular e lecionados por um corpo docente com elevada percentagem de diplomados por colégios de especialidade europeus nas diferentes áreas da Medicina Veterinária, permite uma formação sequencial articulada, cuja frequência é compatível com a atividade profissional dos estudantes.
Em suma, a EUVG tem procurado sempre um caminho diferenciador que a torne a primeira opção num mercado cada vez mais competitivo.

Estudo e desenvolvimento experimental

A EUVG, como instituição de Ensino Superior de alto nível, orientada para a criação, transmissão, difusão e desenvolvimento do saber e conhecimento bem como da ciência e tecnologia, aposta num ensino que articula o estudo, a investigação e o desenvolvimento experimental. Assim, todos os ciclos de estudos ministrados na EUVG articulam, autonomamente e entre si, as componentes que garantem aos futuros
profissionais ter, desde o primeiro dia, ferramentas para superar os desafios profissionais.

O Mestrado Integrado em Medicina Veterinária, através das Práticas Veterinárias Integradas (estágios intercalares) desenvolvidas durante um mês, a par dos bancos clínicos, das aulas práticas em contexto de laboratório, em salas de modelos simuladores, nos hospitais (de animais de
pequeno e grande porte), e do trabalho de campo em explorações, matadouros, indústria e restauração, promovem a integração do estudante, ao longo do percurso formativo, na realidade do exercício da profissão nas suas variadas vertentes. Quando desenvolve a sua Dissertação final, o estudante tem um conhecimento abrangente sobre a profissão e define, de forma consciente, a sua área trabalho. A integração recente de áreas emergentes da Medicina Veterinária no seu plano de formação (também ele em reestruturação) e o constante reforço das ferramentas e standards internacionais do seu treino prático preservam o objetivo de continuar a formar Médicos Veterinários com o perfil de competências pessoais e profissionais adequadas ao exercício da profissão.

A Licenciatura em Ciências Bioveterinárias, mais orientada para os animais de laboratório, visa desenvolver competências nas áreas de biossegurança, bioética e bem-estar animal, direcionadas para a investigação, indústria, diagnóstico e transferência de tecnologia. O estudante é incentivado a realizar estágios extracurriculares que permitem desenvolver competências práticas, bem como contactar com o ambiente profissional. A formação culmina com o desenvolvimento de um Projeto de Investigação Experimental que promove a aplicação de conhecimentos adquiridos e a integração em equipas multidisciplinares na área das ciências da saúde.

Os Mestrados em Cirurgia de Animais de Companhia e em Medicina Interna de Animais de Companhia enquadram-se numa perspetiva de aprendizagem ao longo da vida, que permite um aprofundamento e atualização da formação de base em Medicina Veterinária, de forma a
acompanhar a evolução do conhecimento e das competências na área. Através do projeto científico a desenvolver pelos estudantes no último ano, garante-se o contributo para o desenvolvimento técnico- científico a nível nacional e internacional.

Modernas instalações favorecem condições de aprendizagem

A funcionar num mosteiro milenar desde 2000, em 2013 a EUVG promoveu a sua transição para o Campus Universitário de Lordemão, uma infraestrutura com instalações especialmente concebidas para Ensino e Formação. A EUVG ocupou, então, cerca de 4.300 metros quadrados onde concentrava a quase totalidade das suas atividades.

Entre 2019 e 2020, a ACVG concretizou duas aquisições que ampliaram esta escala: primeiro para 6.900m2, e depois para 11.000m2, ocupando atualmente a quase totalidade do Campus de Lordemão. Foram assim criadas condições para a projeção e instalação de novos espaços
de ensino, dedicados nomeadamente à componente clínica e laboratorial, assegurando uma autonomia crítica nestas valências nucleares.

A EUVG garante, hoje, infraestruturas de qualidade nas suas áreas de estudo, complementadas com parcerias locais e regionais de forma progressivamente autónoma e consolidada.

Centro de Investigação Vasco da Gama (CIVG)

Ciente de que a investigação é um elemento fundamental no ensino universitário, a EUVG tem vindo a apostar numa estratégia, suportada pela sua Unidade de I&D, Centro de Investigação Vasco da Gama (CIVG). Enquanto unidade de Investigação e Desenvolvimento (I&D), reconhecida
pela Fundação para a Ciência e Tecnologia e pela Agência Nacional de Inovação, o CIVG ocupa um papel central na promoção das atividades de I&D no ecossistema EUVG. As áreas temáticas de I&D do CIVG integram-se no conceito transversal e interdisciplinar de Uma Só Saúde (One Health), tendo as Ciências Veterinárias como área principal, e quatro sub-áreas de interesse estratégico, nomeadamente: 1) Ciências Clínicas, 2) Sanidade e Produção Animal, 3) Biotecnologia e Biologia Celular e 4) Saúde Pública e Ecossistemas. O CIVG visa promover e capacitar a integração em projetos de investigação e desenvolvimento de interesse para uma sociedade global, agregando equipas multidisciplinares que envolvem docentes, investigadores e alunos.

O CIVG conta atualmente com 54 colaboradores, sendo que 22 são investigadores integrados desta unidade de investigação. Em 2021 o CIVG contribuiu para a coautoria de 27 publicações científicas, em estreita colaboração com instituições nacionais e internacionais (EUA, Brasil, Uruguai, Colômbia, Angola, Reino Unido, Suécia, Bélgica e Espanha). Alguns dos projetos estratégicos em que participa estão associados
às áreas de medicina regenerativa (células estaminais) e biotecnologia: EuroACE (BioimpACE)- INTERREG; CombiCORD; FlexMicroDerm;TAG2020; ou à área de resistência a antibióticos: EIT Health- Superbug Awareness For Education (SAFE).

EUVG Academia um projeto inovador e focado no futuro

A EUVG afirma-se como um projeto que trabalha continuamente para melhorar a qualidade dos processos e dos resultados educativos. Assim, tem procurado alinhar a oferta académica às necessidades do mercado, ao mesmo tempo que promove uma aprendizagem contínua pós obtenção do grau. A criação da EUVG Academia visa disponibilizar uma vasta oferta (pós-graduações, formação avançada e executiva, soluções customizadas), orientada para os que procuram competências académicas que aliam o saber-saber ao saber-fazer.

“A inovação acontece quando se pensa diferente”. É esse o desafio que move a EUVG Academia: desafiar o senso comum sem subestimar as tendências. Inovação é, pois, antecipar as reais necessidades do mercado e tirar partido das tecnologias de informação para um processo mais participativo e integrado, estimulando a aquisição de competências e abrindo uma nova dimensão de acesso à informação. Aqui, também o docente será desafiado a evoluir nos métodos e práticas pedagógicas, enquanto mediador deste processo.

Leave a Comment